Chamados a pregar a Palavra

Prega a Palavra (2Tm 4,2)

O chamado marca a pessoa profundamente por uma Palavra que vem diretamente de Deus e a atinge no mais profundo do seu ser. É a Palavra que faz com que ela descubra o porquê está neste mundo e a missão concreta que lhe coube.

Por isso, descobrir a vocação é um modo bem concreto de realizar-se, porém realizando não uma vontade somente própria, mas de outro que me quis aqui e precisamente para alguma coisa.

Por isso a resposta à vocação não pode senão ser marcada pela atitude da escuta atenta. A tal ponto se realiza essa submissão à Palavra que ele vive dela, alimenta-se dela, descobrindo em si a força daquilo que a Escritura declara: não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus.

A vida do vocacionado, sendo marcada pela descoberta da Palavra é, ao mesmo tempo, realizada na comunicação dessa mesma Palavra que é mais que um conteúdo intelectual, conceitual: é a própria vida!

Ao descobrir em si a força da Palavra de Deus que o chama, aquele que recebeu o chamado torna-se, ao mesmo tempo, portador dessa Palavra de vida e seu anunciador.

Vê em si um tal sentido de vida na Palavra que se transforma ele mesmo, de algum modo, Palavra.

É daí que procede a obrigação de anunciar a Palavra, como diz o apóstolo, quando é oportuno e também quando não é oportuno (cf. 2Tm 4,2).

O chamado precisa saber que é enviado como ovelha em meio a lobos (cf. Mt 10,16).

O próprio Mestre o alerta para que não desconheça que o Reino de Deus enfrenta resistências. Uma oposição que tem seu reflexo concretamente na rejeição da Palavra. Às vezes pode dar a impressão de que muitos querem viver sem sentido, não pensar na vida e, por isso, fecham-se à Palavra de Deus.

É verdade que ela incomoda, desestabiliza, arranca do comodismo, questiona nossas próprias convicções e, portanto, requer atitude humilde de quem se deixa instruir. E como no coração humano fala tão alto o orgulho que fecha o homem em si mesmo, a Palavra encontra resistência: a luz veio ao mundo mas o mundo não a recebeu.

Como percebe a resistência dos homens o vocacionado tem que se armar das mesmas armas de Cristo e dos Apóstolos para anunciar com intrepidez (parresia): o dom do Espírito Santo.

É somente no seu poder que se pode quebrar a resistência do coração humano à força da Palavra de Deus. Portanto aquele que foi chamado tem que estar revestido com o poder do alto.

Por outro lado, seguindo o exemplo de Jesus, precisa estar muito próximo dos homens do seu tempo para falar-lhes uma linguagem que consiga chegar aos corações; precisa ter a humildade de rever seu discurso e seus métodos pois a graça requer também a ajuda ínfima, mas necessária, da natureza para agir com toda a sua força.

Senhor, que eu não tema anunciar a Tua Palavra aos homens do meu tempo que eu aceite com entusiasmo os desafios dessa hora da história tão conturbada mas também tão cheia de sinais de esperança. Que eu veja esses sinais e não desanime diante das dificuldades que vêm ao meu encontro.